Cadastre-se
Receba nosso informativo em seu E-Mail:
 
Incluir Excluir

 

FASCITE PLANTAR

Dr. César G. Nucci

A fascite plantar constitui causa freqüente de dor na planta do pé, principalmente em indivíduos que apresentam distúrbio postural dos pés, como pés planos ou cavos, e que passam a praticar atividades, que traumatizam a região inferior do calcâneo por tempo prolongado.

A fascite plantar é definida classicamente como inflamação da fáscia plantar. O termo fascite plantar designa quadro doloroso no aspecto plantar do retropé, que tem como característica dor localizada, particularmente ao primeiro apoio na manhã ou ao levantar-se após longo tempo sentado.

O que é o Esporão do Calcâneo?

O esporão do calcâneo faz parte do quadro de Fascite Plantar e se caracteriza por um crescimento ósseo no calcâneo, mas é importante salientar que o esporão não ocorre na fáscia plantar e sim no músculo flexor curto dos dedos, o qual é adjacente à fáscia. Apenas 50% das pessoas com fascite tem esporão e 10% das pessoas sem dor no calcâneo também tem esporão, assim, via de regra, não há indicação de ressecção cirúrgica do esporão.

O tratamento preconizado inicialmente é conservador e consiste no emprego de antiinflamatórios não hormonais e no uso de palmilhas de material macio com suporte para o arco longitudinal medial e elevação do salto. As atividades em ortostatismo prolongado, as marchas de longas distâncias assim como a prática de esportes que envolvam saltos e corridas devem ser restritas.

Exercícios de alongamento da fáscia plantar e dos músculos da panturrilha devem ser realizados. Sendo estes, muito importantes na recuperação dos pacientes. Sua realização, de duas a três vezes ao dia, implica em boa melhora do quadro doloroso.

Se a dor persiste ou quando a intensidade dos sintomas justifica, indica-se a infiltração local com anestésicos e corticosteróides.

A infiltração deve ser realizada diretamente sobre a tuberosidade plantar medial do calcâneo através de abordagem medial ou lateral. E realizada por médico experiente, fato que traz enorme diferença.

Quando o tratamento conservador falha, a liberação cirúrgica tem sido indicada. A cirurgia é realizada estatisticamente em aproximadamente 5% dos pacientes. É procedimento normalmente simples e com ótimos resultados.





Trauma Center:
Av. Lima e Silva, 1337 CEP: 59062-300
Tel: 84 4009-8100